Saltar para o conteúdo principal da página
decoration

O que é
um hub Aeroportuário?

Existem várias definições para um hub. De uma forma simples considera-se um hub como uma placa giratória onde se concentra grande número de voos a determinadas horas.

O hub aeroportuário é assim um ponto de concentração estruturada de operações de voos comerciais, num determinado período de tempo.

Esquema representativo de um hub

Figura 1 - Esquema representativo de um hub

Como se define a estrutura funcional de um hub aeroportuário?

A estrutura funcional de um hub aeroportuário é definida por ondas de chegadas e partidas de voos, dentro de uma faixa horária estreita, tipicamente entre 1 a 2 horas. Nesse período, os voos chegam de um lado do mundo e distribuem os passageiros que trazem a bordo para outros voos, noutras partes do mundo. Por exemplo, no hub da TAP em Lisboa os passageiros do Brasil chegam a Lisboa nos voos da TAP e são distribuídos para outros destinos, na Europa, África, Ásia, etc., também com a TAP ou com outras companhias aéreas.

Na perspetiva dos passageiros, a qualidade de um hub é dada por três fatores básicos: reduzido tempo de transferência (1 a 2h), conforto dos espaços durante as transferências, diversidade de atividades oferecidas durante as transferências. Muitos passageiros frequentes, conhecedores dos vários hubs existentes nas redes de transporte aéreo, escolhem as suas viagens em função do hub onde querem fazer a transferência.

Porque é que um hub é importante?

Os hubs são os nós da rede mundial de transporte aéreo, onde se realizam as transferências de tráfego (passageiros e mercadorias). Na Europa as cidades que detêm os principais hubs são Madrid, Londres, Paris, Frankfurt, Schiphol e Munique.

Do ponto de vista do funcionamento de um aeroporto, o hub é uma operação com muito interesse. Concentra passageiros, mercadorias e movimentos de aviões, todos eles elementos da receita aeroportuária, e aumenta a conectividade. Um aeroporto hub com muito movimento oferece várias ondas de transferência de tráfego ao longo do dia. A figura 2 pretende mostrar esse efeito.

Pontos de concentração de tráfego num hub

Figura 2 - Pontos de concentração de tráfego num hub

Durante essas ondas do hub a pressão sobre os serviços é muito elevada. O aeroporto tem de oferecer um desempenho exemplar em todas as dimensões. Qualquer elemento que falhe, gera perturbações no fluxo de passageiros que recorrem ao hub, colocando em risco a chegada ao destino final.

O hub é uma operação complexa, que pode usar a quase totalidade da capacidade aeroportuária no período de maior utilização, tendo assim implicações para o dimensionamento das respetivas instalações.

AeroParticipa CTI

Promove a análise estratégica, multidisciplinar e participativa do aumento da capacidade aeroportuária da região de Lisboa.

Dúvidas ou sugestões?

Contacte-nos

AeroParticipa © 2023. Todos os direitos reservados.